Promoção da eficiência energética


Promover a utilização dos recursos endógenos e das energias renováveis, garantindo o desenvolvimento da região é o objetivo da Agência Regional de Energia e Ambiente do Centro. Criada em 2003, a AREAC difunde as boas práticas de utilização de energia através das mais variadas ações nos municípios associados – Penela, Miranda do Corvo, Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Montemor-o-Velho, Mealhada, Vila Nova de Poiares, Cantanhede, Góis, Lousã e Tábua.

Criada em Julho de 2003, a Agência Regional de Energia e Ambiente do Centro surge ao abrigo do programa SAVE da Comunidade Europeia, inserido num conjunto de programas europeus que financiavam a criação de agências de energia
a nível regional. A AREAC, sediada em Miranda do Corvo, tem como presidência do Conselho de Administração desde o seu início o Município de Miranda. Atualmente, a agência tem como associados 11 municípios e a EDP Distribuição, que desempenha um papel de apoio ao nível da iluminação pública, que constitui uma das principais áreas para a promoção da eficiência energética para os municípios.

“A AREAC resultou da iniciativa e esforço conjunto das autarquias pertencentes da região Centro com o objetivo de promover a utilização dos recursos endógenos e das energias renováveis, garantindo o desenvolvimento da região onde se insere”, salienta Anaïs Santos, diretora técnica e gestora de projetos da agência. O principal foco da agência passa por fomentar a eficiência energética nos territórios em tudo o que implique um consumo de energia, desenvolvendo serviços no âmbito da auditoria e certificação energética de edifícios existentes, realização de diagnósticos em instalações públicas e privadas, e estudos nas áreas de mobilidade sustentável, gestão de resíduos e gestão hídrica.

Com uma equipa técnica atualmente constituída por quatro elementos, a Agência Regional de Energia e Ambiente do Centro desenvolveu um projeto, em 2012/2013, de georreferenciação de iluminação pública na região centro, permitindo aos municípios fomentarem a eficiência energética conhecendo assim as suas redes de iluminação pública. Através desse projeto, a agência tem conseguido candidaturas para substituição de iluminação existente por iluminação a LED, instalação de balastros eletrónicos, e reguladores de fluxo. A AREAC também desenvolveu projetos de georreferenciação de contentores e equipamentos de resíduos, de forma a proporcionar aos municípios ferramentas para uma melhor gestão do consumo de energia na recolha, e no cumprimento das metas impostas pela ERSAR.

Recentemente, a AREAC começou a trabalhar ao nível da eficiência energética com IPSS, tendo visto ser aprovada uma candidatura pelo MAIS CENTRO para a instalação de 25 painéis solares e uma caldeira a pellets. Por outro lado, tem também apostado na realização de cadastro semafórico, sendo que agora serão grande parte substituídos por semáforos LED através de candidaturas.

A formação também não é esquecida, existindo anualmente vários seminários e workshops organizados pela AREAC, que têm registado uma grande adesão. Pelo segundo ano consecutivo, a agência foi convidada a participar na Expofacic, expondo um stand de sensibilização às questões do consumo de energia, existindo uma interação com a população no sentido de mostrar que a agência pode ser uma ajuda na área da eficiência energética.

“Existimos há 12 anos, mas temos registado um crescimento nos últimos anos, em termos de projetos, equipa e área de atuação. O nosso objetivo passa por elaborar candidaturas e conseguir financiamentos que possam dar continuidade aos nossos estudos e possibilidade aos municípios de implementarem medidas apresentadas às câmaras municipais ao nível da eficiência energética”, acrescenta a diretora técnica.

Para Anaïs Santos, o caminho da Agência Regional de Energia e Ambiente do Centro passa por “conseguir angariar o máximo de candidaturas possíveis para os municípios, trazendo mais financiamentos para melhorar as condições dos territórios e, claro, aumentar a área de atuação a outros concelhos da região centro que não têm agência de energia”.