Na vanguarda com experiência, qualidade e tecnologia


Em Oliveira de Azeméis existe um grupo de cinco empresas denominado Macro Group composto por três unidades distintas e complementares, que se dedicam ao desenvolvimento, projeto e fabricação de moldes para os setores de plásticos, ligas leves e compósitos. O grupo emprega cerca de 100 trabalhadores e estima faturar em 2015 cerca de 10 milhões de euros.


No cerne das suas capacidades destacam-se: moldes de elevada dimensão (até 100t); moldes de prazos de execução muito curtos (express molds); injeção de pequenas séries de peças de elevada complexidade técnica ou materiais de elevado custo; moldes de alta performance (short cycles).

Na conversa com o fundador falou-se um pouco da história do setor, da empresa, do mercado, das tecnologias envolvidas, dos mercados potenciais, entre outros temas. A empresa “mãe”, Macro-Moldes para Plásticos, nasceu nas atuais instalações, as quais, embora permanentemente renovadas, já apresentavam no seu início um elevado grau de qualidade técnica, desde a climatização geral do setor fabril até ao parque de máquinas, tecnologias e equipamentos, assessorados por uma equipa qualificada para a utilização dos mesmos.

O CAD e o CAM foram no início, há quase 30 anos, um dos motores da elevada performance técnica do conjunto e uma forte alavanca do processo de crescimento do grupo. Neste processo, rapidamente foi reconhecida a lacuna da inexistência de equipamentos para ensaios e provas de performance dos moldes produzidos, pelo que foi decidido instalar a segunda empresa do grupo, denominada Macroalfa - Ferramentas de Precisão.

No primeiro ano realizaram-se nesta empresa cerca de 1300 ensaios de moldes produzidos quer pela Macro-Moldes, quer pela concorrência, quase todos destinados à exportação. Estes ensaios implicaram um aumento qualitativo dos equipamentos testados, o que justificou plenamente o investimento inicial, de 2.5 milhões de euros na Macroalfa.