A bordo de experiências únicas


A Sea Life Lovers é uma empresa recente de Turismo Náutico especializada na prestação de experiências únicas a bordo, entre os rios Tejo e Sado. Vanessa Lima foi quem fundou a empresa com o intuito de preservar o seu vínculo à natureza que tanto a apaixona. “A Sea Life Lovers é para os amantes do mar, da praia, da natureza e acima de tudo da vida”.

 

Imagine como seria se pudéssemos aliar o nosso momento preferido de lazer ao nosso trabalho? Aparentemente pode parecer-nos inconcebível, mas não é impossível. Vanessa Lima é a prova disso mesmo. Depois de uma carreira dedicada à área da publicidade, entendeu que estava na altura de mudar de vida. Cresceu e viveu sempre com grande afeto à natureza, principalmente à natureza marítima. “Percebi que podia criar e concebi uma empresa para esse efeito”. A experiência que tinha no setor da publicidade ajudou-a a perceber por onde podia avançar. “Um dos fatores que prezo bastante é o posicionamento e a forma como nos implementamos no mercado”.

Por isso a Sea Life Lovers nasceu para ser uma entidade que proporciona diferentes experiências a bordo, exclusivas e personalizadas, democratizando a ida para a água através de vários estilos e categorias de embarcações, e dando a perceber que tudo ou quase tudo o que se faz em terra pode fazer-se a bordo.

Mas de que tipo de experiências falamos? Almoços e jantares, passeios românticos, despedidas de solteiro, festas de aniversário, fins-de-semana a bordo ou reuniões corporativas, não são propriamente uma novidade. Mas imagine uma rota entre o Rio Tejo e o Rio Sado, passando pelas maravilhosas praias desertas da Arrábida. Transfers da marina da Expo em Lisboa até à marina de Sesimbra, Setúbal ou Tróia. Ver o nascer do Sol ao som de gongos e Taças Tibetanas, subir o Rio Sado, passando Alcácer, herdades vindouras com passeios de carroça e provas de vinhos e ainda rio acima com degustação de enguias. Como seria poder fazer tudo isto e muito mais num barco em alto mar ou em pleno rio Tejo? Este é o conceito da Sea Life Lovers, proporcionar uma experiência diferente que permita que as pessoas possam viver momentos marcantes nas suas vidas. “A empresa e as experiências propostas têm tudo a ver com aquilo de que eu gosto, e adoro proporcionar aos outros o que gostava que me fizessem a mim”, conta Vanessa Lima.

Há ainda uma outra essência que a mesma faz questão de preservar: “Eu gosto de tudo o que é tradição” e por isso todas estas experiências têm sempre associado um serviço típico da região, seja através da degustação da gastronomia, prova de vinhos, realização de diversos workshops ou acompanhamento de festas tradicionais de pescadores.

As embarcações servem todo o tipo de experiências. “Temos desde a lancha até ao iate de 70 pés se necessário”. Atualmente conta com oito a 12 embarcações, algumas delas subcontratadas, na marina de Oeiras, Setúbal e Alcácer do Sal. O posicionamento da Sea Life Lovers é o que a faz ser diferente no mercado. Mas outro dos grandes objetivos da empresa passa por democratizar o acesso a atividades na água. “As pessoas imaginam que sair de barco é algo dispendioso, que não é para elas. O que nós tentamos é, com os diferentes tipos de embarcações para os diferentes tipos de passeios, fazer com que essa saída seja acessível, e as pessoas se lembrem de que tudo o que fazem em terra podem fazê-lo a bordo”, explica Vanessa Lima.

A Sea Life Lovers conta apenas com dois anos em atividade mas já são muitas as novidades. “Este ano lançámos os summer transfers [transporte de pessoas entre os rio Tejo e Sado] em diferentes tipos de barcos. Lançámos workshops de apanha lingueirão com uma degustação do arroz, lançámos também uma visita às ruínas de Tróia via rio com entrada pela praia. Vamos ter também uma lancha em Alcácer do Sal só a servir o mercado de Alcácer e a fazer a subida do rio com a degustação de ensopado de enguias”. Estes são apenas alguns exemplos e muito ainda está para vir.

A empresa tem muita margem para crescer e uma das grandes preocupações neste momento é atrair o público para este tipo de experiências, mas fora da sazonalidade sentida na região. Vanessa Lima acredita que pode “crescer em rotas maiores e em experiências entre rios porque acho muito importante que as pessoas percebam que se não forem de barco, nunca na vida vão conseguir chegar e viver certos sítios”, conclui.